terça-feira, 15 de novembro de 2016

Revista Sociologia em Rede 06 online!


Sociologia em Rede


A Revista Sociologia em Rede é uma publicação eletrônica e anual do GPDS- Grupo de Pesquisa Dialética e Sociedade, da Faculdade de Ciências Sociais/UFG – Universidade Federal de Goiás. O seu objetivo é realizar uma publicação acadêmica na àrea de sociologia e áreas afins, visando criar um espaço de debate, crítica e análise da realidade social.

v. 6, n. 6 (2016): Revista Sociologia em Rede 06

Revista Sociologia em Rede. vol. 06, num. 06, 2016.

Sumário

Dossiê Música e Sociedade (organizado por Rubens Benevides)

Modos de Ser, de Dizer e Fazer: A Banda Violnins e as Disputas pelos Significados no Brasil Texto Completo
Rubens Freitas Benevides
Música Popular e Domínio Temático Texto Completo
Nildo Viana
Efeito colateral que o seu sistema fez: O rap político dos Racionais Mc’s e a cidade de São Paulo Texto Completo
Gabriel Gutierrez Mendes
A massificação póstuma de Cristiano Araújo Texto Completo
Luis Fernando Rabello Borges
Mundo Artístico e Underground Na “Música Pesada” Amazônica: Heavy Metal Paraense, Mídia Escrita/Sonora e Indústria Fonográfica (1986-1996)? Texto Completo
Bernard Arthur Silva
Pensando as Dinâmicas de Transmissão do Choro, do Samba e do Fado Hoje Texto Completo
Marina Bay Frydberg
Os sons do subúrbio: o território da cultura em Madureira Texto Completo
Adelaide Cristina Chao, Libny Silva Freire
Atonalidade, Canções de Luta, Trilhas Sonoras e Contradições: A Música Militante de Hanns Eisler Texto Completo
Ezequiel de Almeida Machado

Artigos

A Escola de Frankfurt e a Questão da Cultura Texto Completo
Renato Ortiz
Recuperando Marx: notas em torno de algumas considerações de Peter Manicas Texto Completo
Paulo Fernando Rocha Antunes

Saúde e Sociedade

Ensino sobre drogas psicoativas e redução de danos emancipatória: proposta de disciplina para graduação, na perspectiva da Saúde Coletiva Texto Completo
Luciana Cordeiro, Beatriz Souza Garofalo Cavalcanti, Celia Maria Sivalli Campos, Thomas Moura Kehl, Cassia Baldini Soares, Vera Lúcia Sant’Anna Martins

Sociologia Psicanalítica

A Razoabilização como Principal Mecanismo de Defesa Texto Completo
Richard Ruck

Especial

Utopia e Ucronia - Concepções da Sociedade Futura Texto Completo
Serge Bernstein
Assistência Social e a Arte do Dom Texto Completo
Richard Titmuss

Resenhas

A música na abordagem de Georg Simmel Texto Completo
Luis Afonso Salturi

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

"Sociologia da Música", Chamada de Artigos da Revista Sociologia em Rede



Chamada de Artigos: Revista Sociologia em Rede

A Revista Sociologia em Rede é uma publicação do GPDS - Grupo de Pesquisa Dialética e Sociedade, da FCS - Faculdade de Ciências Sociais da UFG - Universidade Federal de Goiás, cujo objetivo é publicar artigos e textos de sociologia e áreas afins, visando divulgar a produção sociológica e afins no sentido de aprofundar a compreensão e reflexão crítica sobre a realidade social.

A revista recebe artigos em fluxo contínuo, mas realiza a presente chamada de artigos visando publicação de artigos exclusivamente para o próximo número, apresentando o dossiê “Sociologia da Música”, organizado pelo professor Rubens de Freitas Benevides. A descrição do dossiê pode ser visto abaixo. As normas de publicação podem ser acessadas clicando aqui, sendo que para envio de artigos é necessário o cadastro como autor (clicando aqui). Os artigos dever ser encaminhados até dia 01 de julho de 2016.

Dossiê:
“Sociologia da Música”

Qual o sentido de uma Sociologia da Música? Se recorremos à tradição da disciplina (sociológica) vemos que Max Weber situa o desenvolvimento da música moderna em paralelo com o processo de racionalização ocidental, no sentido tanto da composição musical quanto do desenvolvimento dos instrumentos musicais; no entanto, Weber não deixa de registrar a presença das formações sociais neste mesmo desenvolvimento musical ocidental. Theodor Adorno, por sua vez, pretendeu, em sua abordagem sobre a Sociologia da Música, indicar, com muita proximidade a Weber, os tipos de ouvintes da música, estabelecendo denominações para os tipos de música, ou estilos musicais. Contudo, este autor enfatiza a forte determinação que as relações de produção capitalistas exercem sobre a produção musical no sentido da homogeneização cultural pela massificação, processo que deixa pouco ou nenhum espaço para as formas da “liberdade da arte”. Mais recentemente Frith (1984), em seu estudo sobre a indústria musical e a construção de uma audiência massiva, indicou como fundantes de uma Sociologia da Música as relações entre produção de música e juventude. Mais recentemente ainda, diversos autores passaram a apontar os contextos comunitários, frequentemente em luta por reconhecimento social, em que ocorre a produção musical (SHANK, TOYNBEE, HESMONDHALGH). Essas e muitas outras questões poderiam constituir um arcabouço de perguntas levantadas pela Sociologia da Música e são bem vindas como propostas de artigos para esse dossiê.



Capa da Revista

Capa da Revista
Sociologia em Rede, 02